12 de janeiro de 2019

Minha Paixão é Ler: Dez coisas que aprendi sobre o amor - Sarah Butler - Resenha





Há alguns anos coloquei esse livro no meu kindle com a promessa de lê-lo em breve . Esse breve demorou mais que eu previ. Hoje , porém trago a resenha dele , com muito amor no coração.
Um livro super sensível que me emocionou a cada capitulo. É claro que nem todas as partes nos agradam por completo ( as vezes agrada sim) mas pra mim, teve parte que me deixou chateada ou desestimulada , mas prossegui e valeu à pena no final das contas.

O livro dez coisa que aprendi sobre o amor da autora Sarah Butler , sem duvidas, é um tipo de livro que nos faz pensar na vida , nas escolhas, nos sonhos , no passado e no futuro.

Contando a história de Alice , uma mulher confusa que vivia viajando para vários lugares do mundo, sem parar em casa, pra fujir de quem realmente era e das coisas que a assombravam. Nunca se sentia no seu verdadeiro lar, nunca se sentia como alguém importante pra família , tinha a nítida impressão que alguém escondia coisas dela e achava que não tinha o amor verdadeiro de seu pai.
Mas ela o amava! E foi assim que retornou pra Londres , após saber que seu pai estava morrendo.
Nesse momento aparecem as lembranças, as irmãs que sempre fazem questionamentos, a saudade e o desespero de saber curiosidades e informações de uma mãe da qual ela não se lembrava mais...

No meio de uma Londres fervilhando , existia uma mulher triste, com seu relacionamento mal resolvido com Kal, seu ex namorado e suas duvidas sobre o destino. Nessa mesma Londres, existia um homem que vivia como mendigo, ansiando encontrar sua filha querida  fruto de um amor proibido com a mãe de Alice...

O livro relata , de maneira sensível e detalhista, a busca de Daniel para encontrar Alice. E depois que encontrar, quais serão as estratégias que ele irá usar para se aproximar de uma filha que nunca soube de sua existência?

'' Você não pode sentir saudade de Alguém que nunca conheceu. Mas sinto saudade de Você.''


Blog Chuva No Jardim




Sinopse:

Por quase 30 anos, quando a brisa de Londres torna-se mais quente, Daniel caminha pelas margens do Tâmisa e senta-se em um banco. Entre as mãos, tem uma folha de papel e um envelope em que escreve apenas um nome, sempre o mesmo. Ele lista também algumas coisas: os desejos e o que gostaria de falar para sua filha, que ele nunca conheceu. Alice tem 30 anos e é mais feliz longe de casa sob um céu estrelado, rodeada pela imensidão do horizonte, em vez da segurança de quatro paredes. Londres está cheia de memórias de sua mãe que se fora muito cedo, deixando-a com uma família que ela não sente fazer parte. Agora, ela está de volta porque seu pai está morrendo. Alice só pode dar-lhe um último adeus. Alice e Daniel parecem não ter nada em comum, exceto o amor pelas estrelas, cores e mirtilos. Mas, acima de tudo, o hábito de fazer listas de dez coisas que os tornam tristes ou felizes. O amor está em todas as partes desta história. Suas consequências também. Sejam boas ou más. Até que ponto uma mentira pode ser melhor do que a verdade?

Critica:

Daniel é fascinante. Ele desperta tantas emoções em quem está lendo, pois é sensível, honesto, minimalista . Ele conta ao longo da história como foi sua vida, como conheceu Juliane ( mãe de Alice) , conta o que aconteceu no passado... Mas o que me deixou mais intrigada com relação à Daniel é que ele tem um ''dom '' com as cores e correlaciona os nomes, pessoas e situações ás cores. E com isso ele pensa que conseguirá se comunicar com sua filha, mas ela não entende. Interessante.

''Você tem um nome azul...''
''E quais letras são brancas? ''
'' P – Diz ele, P de pai.''

Mesmo debilitado e doente, ele tenta . E com sua sensibilidade ele conquista nossos corações. Consegui sentir a dor de Daniel e tudo o que ele passa como morador de rua.

Alice é bem doida e bem triste por sinal. Mas deu pra perceber o bom coração, tanto que ela se sensibilizou pelos presentes que recebeu de Daniel . Advinha o que era? Só lendo pra saber!!
O que me deu raiva: não terem contado a verdade a Alice. Todos na família dela sabiam a verdade sobre o pai, I'm Sure!

O livro é narrado em primeira pessoa, um capitulo por Daniel, outro por Alice.
E é gostoso de ler ,de fácil leitura.
Esse livro é fofo mas pede (suplica) por continuação, o que não aconteceu me deixando profundamente deprimida...

Eu indico muito a leitura desse livro, mas uma dica galera, esse livro não é um livro pra ressaca literária! Pode te causar uns sentimentos de melancolia e algumas lagrimas.




Nota de 0 a 10: 9
Autora: Sarah Butler
Titulo: Dez coisas que aprendi sobre o amor
Ano: 2015
Editora: Novo conceito Editora
ISBN: 978 85 8163 778-5



Comente com sua conta Blogger
Comente com sua conta Facebook
Comente com sua conta Google+

10 comentários:

  1. Esse livro é muito lindo e aborda uns temas ótimos, se encontrar, procurar o amor, procurar o amor próprio entre outros. O Daniel é um personagem que me cativou muito quando li o livro ♥

    ResponderExcluir
  2. Oi, eu tenho ele na estante há alguns anos - a capa linda me conquistou -, mas ainda não peguei pra ler. Amei conferir sua opinião, Daniel me parece ser um personagem muito tocante.

    ResponderExcluir
  3. Olá

    O livro parece ser uma boa viagem ao passado para acertos com ele e reconquistar um amor adormecido que no caso é entre pai e filha. Deve ser uma leitura fluída e envolvente.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Eu já tinha visto esse livro muitas vezes antes, mas nunca tive a chance de ler. Até tinha vontade de conhecer a história, mas depois de um tempo fui perdendo a vontade.

    Beijos,
    Livros Engavetados

    ResponderExcluir
  5. Quando vi o título pensei que era um livro que falaria de um casal, do amor romântico, mas lendo sua resenha vi que era sobre um amor diferente e especial: de um pai pela filha que nunca conheceu. Fiquei triste antes mesmo de ler o livro, refletindo aqui sobre como as pessoas não dão valor ao que têm. Pais que não valorizam seus filhos, filhos que não ligam para o privilégio que é de ter pessoas que os amam. A vida é muito injusta. E pelo que você falou fiquei com a sensação de que a história não vai ter um final desejado.

    ResponderExcluir
  6. Oi Renata,
    eu tenho um grande e sério problema com essas capas de livros da Novo Conceito, eles não acertam a mão quase nunca Deus me livre kkkkkkkkkkkk, fico feliz que você tenha gostado da leitura, mas achei a premissa do livro estranha, dificilmente eu pegaria esse livro para ler.

    Beijos!
    Eita Já Li

    ResponderExcluir
  7. Oi Renata.

    Eu tenho este livro aqui em casa para lê -lo e vou tentar lê -lo o mais rápido possível. Ainda mais sabendo que possui uma leitura fácil. Adorei a sua resenha.

    Bjos

    ResponderExcluir
  8. Li essa obra anos atrás e confesso que não me conquistou tanto quanto eu esperava :( concordo com ele tentar bastante, mas né... infelizmente as coisas seguem por um rumo diferente. E também concordo que é um livro que pode provocar melancolia.

    Beijos,
    Blog PS Amo Leitura

    ResponderExcluir
  9. Olá, Rê!
    Só lendo a sua resenha já senti a vibe intensa e melancólica do enredo, pois você conseguiu me passar muito bem todos os sentimentos conflitantes dessa leitura. Não sabia da existência desse livro, mas fiquei curiosa para saber como ocorreu a relação entre pai e filha e se eles conseguem criar algum laço.

    www.sonhandoatravesdepalavras.com.br

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo bem? Eita que fiquei super curiosa. Sou sensível a esse tipo de leitura, mas já vou preparada para chorar. E acredite, também falo que vou ler um livro em breve, e esse em breve demora anos HAHAHA normal na vida de leitor. Que bom que adorou, e ótima resenha!
    Beijos

    ResponderExcluir

Eu fico tão feliz ao ver seu comentário! Ele é muito importante pra mim
Se seguir eu sigo de volta. E não se esqueça de deixar o link para que eu possa retribuir a visita e segui-lo também.
Beijos e voltem sempre! <3

Topo